Youtube Facebook Instagram Twitter

Fala Sertão nas

Redes Sociais

Publicidade

Ex-gerente da Petrobras condenado a 15 anos de prisão


Postado em 25/09/2017 - 15:50:37 (Brasília)




O juiz Sérgio Moro, que é responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, condenou o ex-gerente da Petrobras Roberto Gonçalves a 15 anos e dois meses de reclusão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa. A sentença foi publicada hoje.

Outros quatro réus do mesmo processo também foram condenados, mas são delatores e tiveram benefícios.

Gonçalves foi alvo da 39ª fase da operação e é acusado de receber propina a partir de contratos da estatal. Moro também decretou a interdição Gonçalves de cargos ou funções públicas. O juiz também determinou o confisco de US$ 4,2 milhões em contas do ex-gerente e de offshores das quais é beneficiário final.

O ex-gerente foi o sucessor de Pedro Barusco na Gerência Executiva de Engenharia da estatal. De acordo com a força-tarefa da Lava Jato, quando Barusco deixou o cargo, passou a Gonçalves o "bastão" da propina paga pelas empreiteiras.

A denúncia, que foi aceita em abril deste ano, cita dois contratos firmados com a Petrobras para a construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que somam mais de R$ 5 bilhões. Os consórcios contratados foram o Pipe Rack e o TUC, integrados pelas empreiteiras Odebrecht e UTC.

 

Do valor total dos contratos, o MPF acredita que tenham sido pagos R$ 56 milhões em propinas.

 

Veja quem são os condenados e os crimes


Roberto Gonçalves – 15 anos e dois meses de reclusão – corrupção, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa.

 

Walmir Pinheiro Santana – oito anos de reclusão – corrupção e lavagem de dinheiro.

 

Márcio Faria da Silva – sete anos e seis meses de reclusão - lavagem de dinheiro, em regime inicial fechado. Devido ao acordo, deverá ficar preso por seis meses no regime fechado.

 

Rogério Araújo – sete anos e seis meses de reclusão - lavagem de dinheiro, em regime inicial fechado. Devido ao acordo, deverá ficar preso por seis meses no regime fechado.

 

Olívio Rodrigues – quatro anos e seis meses de reclusão – lavagem de dinheiro.

 

O advogado James Walker, que representa Roberto Gonçalves, disse que na análise da defesa Moro deixou de considerar uma série de argumentos defensivos, invariavelmente privilegiando a acusação.

 

"Não existe, na Lava Jato, especialmente na 13ª Vara Federal de Curitiba, a paridade de armas entre defesa e acusação. Novamente exacerbou ao fixar a pena em 15 anos e 2 meses", argumentou o advogado.



Compartilhe essa notícia:

Mais Notícias

 Últimas notícias

Posto de Atendimento ‘Caixa Aquí’ em Ipubi segue para fase final de implantação

Haddad: elite vota em Bolsonaro acreditando que ele será 'tutelado por generais'

PT entra com pedido de investigação no TSE e pede inelegibilidade de Bolsonaro

TSE abre ação para investigar suspeita contra campanha de Bolsonaro

Fernando Monteiro é eleito com mais de 82 mil votos em Pernambuco

Veja todos os deputados federais eleitos em Pernambuco

Fala Sertão - Todos os direitos reservados

Telefone

(87) 99943-3440


E-mail:

contato@anaabrantes.com

anaabrantes.assessoria@gmail.com

NEWSLETTER

Cadastra-se, e receba novidades do

Ana Abrantes por e-mail:

Youtube Facebook Instagram Twitter
A Comunicação